"Brasileiros ainda não entenderam o Netflix'


"Só tem filmes antigos", "não tem lançamentos das locadoras", "não encontro o filme que eu queria ver", "nos Estados Unidos o conteúdo é melhor". Estas são algumas das reclamações que os usuários brasileiros do Netflix fazem sobre o serviço de vídeo sob demanda, que usa a internet para levar filmes, seriados, novelas, lutas e desenhos animados para o PC, smartphone, tablet, videogame e outros dispositivos.

Para Reed Hastings, presidente da Netflix, "os brasileiros ainda não entenderam como o serviço de vídeos funciona". "Para a maioria das pessoas no mundo, a TV pela internet é uma coisa estranha. É uma ideia nova. Mas, por ser algo novo, as pessoas estão testando o Netflix e fazendo um 'boca-a-boca', o que tem sido muito bom para nós", disse o executivo em entrevista ao G1. "Leva-se alguns anos nos novos mercados que entramos para que os usuários aprendam a usar o serviço".


Em 12 meses de operação local, a empresa afirma ter alcançado 1 milhão de usuários na América Latina. Nos Estados Unidos, maior mercado do site de streaming, há 24 milhões de assinantes. Para Hastings, a quantidade de usuários na região ajudou a conseguir mais conteúdo e filmes exclusivos logo depois que saíram do cinema como "O Artista" e "Jogos Vorazes".
"É uma questão de dinheiro. Conseguimos filmes deste porte por conta do nosso número de usuários na América Latina, o que nos deu verba para comprar a licença destas produções", explica. "Concordo com os assinantes brasileiros. Acho que deveríamos ter todo o conteúdo [em termos de lançamento nas locadoras]. Estamos trabalhando para isso".
Hastings destaca que os problemas de fazer o Netflix crescer no Brasil estão na pirataria e nos planos de acesso à internet com download limitado. "Pense em uma quinta-feira à noite: você pode chegar em casa e assistir ao Netflix, jogar videogame, assistir TV a cabo ou aberta, assistir a um DVD pirata ou baixar um torrent. Estes são nossos concorrentes".
"Outro grande problema aqui são planos de banda larga com limite de download de 20 GB, 40 GB. Nos Estados Unidos, os limites são muito mais altos, de 300 GB, e não há limites no Reino Unido. Sei que os brasileiros não gostam disso. Quem gosta é a operadora, mas ter este limite é um problema". Hastings explicou que, como a internet fica lenta ou o usuário paga a mais caso ultrapasse este limite, a qualidade do Netflix em termos de imagem e do preço - o site conta R$ 15 por mês - fica aquém do que a empresa espera.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...