LILYHAMMER | Seis motivos para não perder a série!



A segunda temporada da série original Lilyhammer já está disponível na Netflix... e a terceira já foi confirmada! Esta grande produção abriu o caminho para sucessos como House of Cards, Orange is the New Black e a quarta temporada de Arrested Development. Mas se o pedigree de Lilyhammer não for convincente o bastante, veja seis motivos para não perder esta série:


1. O submundo... de novo, mas visto de um ângulo diferente e até cômico!

Lilyhammer marca o retorno dos bons dramas sobre o crime, que nos Estados Unidos empolgam milhões de espectadores, mas com um toque de comédia. Com o fim de Família Soprano (série na qual Steven Van Zandt, protagonista de Lilyhammer, também participa) e Breaking Bad, fãs de séries estão ávidos por produções sobre máfia e crime. Na América Latina, séries realistas sobre cartéis de drogas e chefes da máfia também tiveram enorme sucesso.

Mesmo para quem quer assistir a uma história diferente sobre a máfia, Lilyhammer é uma interpretação refrescante do mundo do crime. A história de Frank Tagliano retrata a realidade de um mafioso com um foco diferente, tanto pela ambientação nórdica como pelo tom cômico.

Na série, Frank Tagliano é um personagem familiar para fãs do gênero, mas este mafioso tem um lado mais humano. Trata-se de um verdadeiro anti-herói, que gera repulsa e empatia ao mesmo tempo. Tagliano é colocado no programa federal de proteção a testemunhas dos Estados Unidos e começa uma nova vida, longe das ruas de Nova York.  O mais divertido desta temporada é ver como Tagliano opera sua boate com requintes de bandidagem, assume a vida de pai de gêmeos e foge de seus antigos sócios.

2. Tudo em Lilyhammer é feito com ainda mais capricho nesta segunda temporada.

Lilyhammer representa a primeira experiência da Netflix como produtora de conteúdo original. O sucesso foi tanto que várias séries da Netflix foram indicadas aos prêmios Emmy de 2013 para o melhor da TV. House of Cards, por exemplo, recebeu três prêmios, incluindo o de melhor diretor.

Esta segunda temporada de Lilyhammer chega aprimorada e mais forte, sem deixar sua essência cômica de lado. A trama e os personagens se desenvolvem, e o dinamismo da ação, o humor, os diálogos e a energia ficaram muito mais interessantes.

Tagliano, agora o cidadão Johnny Hendriksen, está mais familiarizado com a cultura norueguesa, mas ainda enfrenta obstáculos. Por exemplo, convencer o padre de Lillehammer a batizar seus gêmeos exige toda a experiência e conhecimentos de um mafioso para manipular, ameaçar e "pagar" pelo serviço.

Como se os desafios de ser pai, tocar seus negócios e saber que a qualquer momento seus antigos parceiros podem encontrá-lo não bastassem, seus capangas ineptos vivem arrumando encrencas e novos inimigos.

Lilyhammer, nesta temporada, vai muito além. É o que diz Steven Van Zandt (ator de Família Soprano e estrela da banda de Bruce Springsteen): "Tentamos fazer tudo um pouco melhor. Isso não vai ser fácil, tudo precisa encaixar. Estávamos preocupados porque a primeira temporada foi muito popular e isso foi surpreendente. Mas os escritores fizeram um trabalho maravilhoso (Van Zandt fez o roteiro com os noruegueses Anne Bjørnstad e Eilif Skodvin) e temos atores excelentes. Além disso, as cenas de ação são mais elaboradas, a pós-produção é ainda mais detalhada, a música é muito melhor... ".

3. Conheça outros mundos e culturas de uma maneira divertida.

Vivemos em uma época em que ser intercultural abre oportunidades pessoais e profissionais. Provavelmente, graças a séries de TV, você conhece de cor as ruas de San Francisco, as praias da Califórnia ou da Flórida, os edifícios de Manhattan e as paisagens das longas estradas americanas.

Já pensou em conhecer a Noruega? Claro que há livros, enciclopédias online e documentários sobre o país, mas Lilyhammer é a oportunidade perfeita para aprender e ainda se amarrar numa excelente história.

A trama da série acontece em Lillehammer, uma pequena cidade de 30.000 habitantes no centro da Noruega que ficou conhecida internacionalmente por sediar os Jogos Olímpicos de Inverno de 1994. A neve, o ar frio e as casas de madeira desta pequena cidade ditam o tom da série.

4. É a oportunidade de apreciar o talento de Steven Van Zandt

Na América Latina, Van Zandt é conhecido como um grande ator e um personagem controverso, mas nos Estados Unidos e Canadá trata-se de uma estrela de primeira grandeza. Além de ter carreira lendária no rock (toca violão e bandolim desde o início dos anos 70 na banda de Bruce Springsteen, a E Street Band), seu talento como ator foi comprovado na série Família Soprano e, agora em Lilyhammer, em que é a estrela, produtor executivo, corroteirista e supervisor de música.

5. Perdeu a primeira temporada? Está na Netflix!

Na TV tradicional, muitas pessoas poderiam desistir de ver uma série de sucesso por não terem assistido às temporadas anteriores. Essa desculpa acabou. Os oito capítulos da primeira temporada de Lilyhammer estão disponíveis para você, sua família e seus amigos apreciarem quando quiserem, seja em uma só sentada no sofá pelo computador, na TV conectada à Internet ou em um aparelho móvel. (Aposto que você não vai conseguir ver apenas um capítulo por dia já na primeira temporada).

Se você prefere começar pela segunda temporada, também vai entender e apreciar Lilyhammer em todas as suas dimensões... mas depois de ver o oitavo episódio, também aposto que você não vai perder a primeira temporada.

6. Um passo para a TV verdadeiramente global.

Se estamos em um mundo globalizado, por que assistir a séries produzidas apenas no seu país e nos Estados Unidos? A série é a resposta perfeita da Netflix para incluir e divulgar culturas e histórias internacionais, o que exige não só a produção e logística em outros países, mas também novas formas de contar histórias.

Em Lilyhammer, elementos da Noruega – sua geografia, cultura, personagens e diálogos – marcam a série e valorizam o tom global da Netflix.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...